quinta-feira, 12 de abril de 2018

Ansiedade

É a dor que não se vê.

É a dor que dilacera por dentro, mas não aparece aos olhos de nenhuma máquina, de nenhum exame.

É a angústia disfarçada.

É o suor frio.

É a vertigem.

É o coração em velocidade furiosa.

É a dor que mata sem aviso!

É a dor incompreendida.

É o sentimento invisível aos olhos e lancinante para a alma.

sábado, 7 de abril de 2018

Páscoa por cá

Há datas e há tradições a cultivar. E a Páscoa é uma delas...

Por aqui, há flores na entrada de casa, para receber a cruz. Há compasso pascal e água benta para abençoar a casa. Há caça aos ovos e crianças e adultos felizes a correr pelo jardim. Há ninho de Páscoa e pão de ló. Há família e comida na mesa. Há bola de carnes e amêndoas. Há vida!!



quinta-feira, 8 de março de 2018

Dia da Mulher


Queremos respeito, por isso respeitamos.

Queremos divisão, por isso não aceitamos apenas a ajuda.

Queremos segurança, por isso acolhemos.

Queremos igualdade, por isso não inferiorizamos.

Queremos ser pessoas, por isso lembramo-no que os outros também são pessoas.

Queremos um dia 8 de março, todos os dias.

Queremos relembrar e valorizar a luta e continuarmos a lutar.

Queremos lutar lado a lado pelos direitos da gente e não do género.

Queremos ter dias felizes todos os dias. Queremos lutar pelos direitos da vida.

quinta-feira, 1 de março de 2018

Ela...

O tema poderia ou deveria ser outro... A educação. As crianças e o dinheiro. O amor.

Mas foi ela que mais uma vez me surpreendeu pela positiva. A minha princesa de pelo na venta e resposta brava.

A tia faz anos. Ela foi para a escola ansiosa pela festa. A tia surpreende-a à porta da escola. A alegria e o entusiasmo no olhar.

O diálogo até casa. A inocência dos seus breves sete anos de idade. O bolo de aniversário... Festa sem bolo, não é festa para uma criança.

- Há bolo, mãe?

- Não há bolo. Não tive tempo para fazer.

- Compras.

- Não tenho dinheiro.

- Vais ao multibanco.

- Se não tenho dinheiro, o multibanco não me dá.

- Não há problema. Vais ao meu mealheiro e compras o bolo para a tia.

Encheu-me o coração e fez-me ganhar o dia. E, claro que havia um bolo, modesto mas feito com muito amor e boa vontade.



Parabéns à tia!!!

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Carnaval, S. Valentim e Gripe

Carnaval, S. Valentim e Gripe - as celebrações cá de casa na última semana! 

A loucura. 

É o samba da febre; o love da ranhoca; a balada da tosse e do espirro.

São as noites mal dormidas, não de folia, mas de carinho parental.

Resta o mimo e os abraços. Resta o carinho. Resta a cumplicidade e partilha entre os manos.

São os horários dos medicamentos apontados num papel.

Resta a pouca sanidade nestas cabeças com pouco descanso...

São os dois doentes ao mesmo tempo, pela primeira vez!

É o agradecer por ter apenas acontecido agora. É o agradecer por ser uma situação rara. É o agradecer por ser apenas uma gripe. 

E bora lá... Gripe vai-te embora que queremos passear!!!

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Dia de S. Valentim

Dizem que é Dia de S. Valentim! Dia do amor, do tipo mais puro e abrangente. Dia dos afetos. Dia de mostrarmos ao mundo que amamos. Dia de mostrarmos ao mundo que não estamos sós. Que há amor à nossa volta. Muito, pouco, com grandes ou pequenas demonstrações, mas há...

As montras disfarçam todo o sentido deste dia. Fala-se em namoro e falta dele. Fala-se em momentos especiais. Há uma invasão de vermelho e corações. 

Desapareceram os postais. As mensagens que marcam as origens deste dia especial. Uma troca de mensagens do amor mais puro. Aquele que existe em todas as boas relações. Sejam elas carnais, reais, utópicas ou morais. 

Surgiram as caixas de chocolates e as rosas encarnadas. Os peluches e o "I love you". 

E as pessoas esquecem-se que não há datas para momentos especiais. As pessoas esquecem-se que toda a vida é especial. Que todos os dias há amor à nossa volta. Que, em qualquer dia, pode haver uma invasão de vermelho e corações. Que, em qualquer dia, uma rosa ou um chocolate é bem recebido.

E as pessoas esquecem-se que hoje é Dia de S. Valentim e não Dia dos Namorados...



terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O preço de um filho

Sei que devo ter um problema qualquer com o "gene da maternidade". Não consigo assumir que não vou ter mais filhos, apesar do meu lado racional me lembrar constantemente dessa situação. Por mim, havia pelo menos mais um. Mas sei que não é assim...

Talvez por isso, me custe escutar certos comentários que soam a barbaridades aos meus ouvidos. Ter um filho não é uma decisão fácil ou que deva ser tomada de ânimo leve. Exige compromisso e investimento emocional e económico. Talvez por isso, me custe tanto ver um filho ser comparado a um animal de estimação.

Valorizo os animais de estimação e respeito quem opta por ter um. Aprecio quem os respeita e os trata bem. Agora, compará-los a um filho ou escutar "prefiro comprar um cão a ter outro filho", custa ouvir.

Um filho tem um preço alto, mas é o nosso maior investimento!Talvez, o melhor! Que pode sempre ser complementado com um cão, mas não substituído...